Governo vai usar frota aérea para agilizar transporte da vacina no Paraná

Jonathan Campos/AEN

Jonathan Campos/AEN

O Governo do Estado apresentou nesta sexta-feira (15) parte da estrutura log√≠stica que ser√° usada na distribui√ß√£o das vacinas contra a Covid-19 no Paran√°. Tr√™s avi√Ķes e um helicóptero ser√£o incorporados à frota de caminh√Ķes para agilizar o transporte do imunizante para as 22 Regionais de Sa√ļde, atingindo todo o Estado. A inten√ß√£o é garantir a aplica√ß√£o da vacina nos paranaenses o mais rapidamente poss√≠vel. O evento com a participa√ß√£o de técnicos da Sa√ļde e da Casa Militar ocorreu no Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba.

De acordo com a Casa Militar, um novo avi√£o, em fase final de aquisi√ß√£o pelo Governo, ser√° integrado ao sistema de imuniza√ß√£o em até 30 dias. E, se necess√°rio, a frota que atende a Seguran√ßa P√ļblica também pode ser utilizada.

"Vamos usar a experi√™ncia adquirida no transporte de órg√£os para transplante, em que o Paran√° é refer√™ncia, e também nos testes para a Covid. Só no ano passado foram 500 horas/voo, garantindo agilidade e rapidez", destacou o chefe da Casa Militar, tenente-coronel Welby Pereira Sales.

Ele ressaltou que o transporte para o Interior ser√° feito por meio de rotas aéreas, atendendo mais de uma Regional da Sa√ļde por viagem. O planejamento é para que as aeronaves sejam usadas em deslocamentos maiores.

Com o ingresso das aeronaves, o tempo de deslocamento para que todos os munic√≠pios sejam abastecidos é estimado em 48 a 72 horas. "O helicóptero, por exemplo, pode ser utilizado para chegar em locais de dif√≠cil acesso", disse. "Ser√° um servi√ßo de excel√™ncia, com a vacina chegando o mais rapidamente poss√≠vel para a popula√ß√£o", acrescentou o chefe da Casa Militar.

VACINAÇÃO

O processo de vacina√ß√£o no Paran√° vai seguir o Plano Nacional de Imuniza√ß√£o (PNI) elaborado pelo Governo Federal. O Ministério da Sa√ļde espera come√ßar na próxima semana as imuniza√ß√Ķes dos grupos considerados de risco. A estimativa é que o Estado receba 100 mil dos 2 milh√Ķes de doses do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford e pelo Laboratório AstraZeneca. As vacinas ser√£o importadas do Instituto Serum, um dos centros da AstraZeneca para a produ√ß√£o da vacina na √ćndia, pela Funda√ß√£o Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Além disso, destacou o secret√°rio de Estado da Sa√ļde, Beto Preto, a expectativa é por outras 300 mil doses do imunizante Coronavac, do laboratório chin√™s Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de S√£o Paulo. A diretoria colegiada da Ag√™ncia Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria (Anvisa) vai se reunir no domingo (17) para discutir os pedidos de autoriza√ß√£o para uso emergencial dos imunizantes.

De acordo com o secret√°rio, o grupo priorit√°rio estadual é formado por cerca de 272 mil profissionais da linha de frente do combate à Covid-19, √≠ndios acima de 18 anos mapeados em comunidades isoladas de 30 munic√≠pios do Paran√° e idosos que vivem em asilos e casas de repouso. "Ser√° um processo que deve durar o ano todo, de forma escalonada conforme forem chegando as vacinas. Mas a ideia é conseguir imunizar o grupo de risco em até 90 dias e quatro milh√Ķes de paranaenses até o fim de maio", afirmou Beto Preto.

TRANSPORTE TERRESTRE

Além das aeronaves, o Governo do Estado conta com quatro caminh√Ķes com ba√ļs refrigerados, todos monitorados por satélite, para distribui√ß√£o das vacinas. Cada ve√≠culo tem capacidade de transportar aproximadamente 228 mil frascos do imunizante.

Com a incorpora√ß√£o da frota aérea, o planejamento prev√™ utilizar os caminh√Ķes para viagens mais curtas, com o deslocamento para cidades próximas de Curitiba. Os principais centros de distribui√ß√£o dos materiais funcionam na capital.

Segundo a Secretaria de Estado da Sa√ļde, esses ve√≠culos costumam transportar por m√™s de 600 mil a 1 milh√£o de doses de vacinas para outras doen√ßas.

Outros nove caminh√Ķes est√£o à disposi√ß√£o para o carregamento da chamada carga seca, formada por luvas, seringas, agulhas, m√°scaras, aventais e outros itens. Cinco s√£o da Secretaria da Sa√ļde e quatro da Defesa Civil do Paran√°. Cada ve√≠culo consegue transportar 18 toneladas de material.

O deslocamento deste material para as 22 Regionais de Sa√ļde come√ßou nesta sexta-feira (15). "A ordem do governador Ratinho Junior é para imunizar o Paran√° por inteiro, todos os 399 munic√≠pios. A vacina ser√° distribu√≠da de maneira igualit√°ria, atendendo a todos os paranaenses", refor√ßou o secret√°rio.

Apenas entre agulhas e seringas, o Estado conta atualmente com 11 milh√Ķes de unidades em estoque, quantidade que vai saltar para 27 milh√Ķes nos próximos dias com a compra de mais 16 milh√Ķes, em fase final de aquisi√ß√£o pela Secretaria de Estado da Sa√ļde.

CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO

Os materiais para a campanha de vacinação contra a Covid-19 estão centrados em dois pontos principais de Curitiba: o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), para vacinas e carga seca, e o Ginásio de Esportes do Tarumã, apenas para carga seca.

Desses locais saem todos os produtos que vão garantir o processo de imunização contra o coronavírus em todos os 399 municípios paranaenses. São ao todo 1.850 salas de vacinação.

A estrutura paranaense conta ainda com 21 c√Ęmaras frias j√° adquiridas e outras 180 em processo de aquisi√ß√£o. Mais 31 c√Ęmaras frias para armazenamento ser√£o compradas em parceria com o governo federal. O Estado disp√Ķe também de freezers para produ√ß√£o de gelo, equipamentos de ar-condicionado, cont√™ineres refrigerados de 40 pés para armazenamento de 100 mil doses de vacinas, caminh√Ķes refrigerados para distribui√ß√£o de imunizantes e a perspectiva de implanta√ß√£o de c√Ęmaras modulares para armazenamento de frios nas Regionais de Sa√ļde.

BOX 1
Secretário pede para que imunização seja concentrada nas salas de vacinação

O secret√°rio de Estado da Sa√ļde Beto Preto solicitou aos munic√≠pios que priorizem usar as 1.850 salas de vacina√ß√£o existentes no Estado para a campanha de imuniza√ß√£o contra o coronav√≠rus. De acordo com ele, os locais est√£o preparados e s√£o apropriados para o processo.

"Temos toda a estrutura dispon√≠vel nas unidades b√°sicas de sa√ļde, seguindo as orienta√ß√Ķes de outras campanhas de imuniza√ß√£o. E a popula√ß√£o de cada munic√≠pio ser√° vacinada no próprio munic√≠pio. N√£o precisa se deslocar para outro centro urbano maior", disse. "N√£o podemos perder a refer√™ncia da aten√ß√£o b√°sica de sa√ļde, em todos os munic√≠pios".

Ele destacou que o mutir√£o da vacina√ß√£o deve reunir entre 6 mil a 10 mil profissionais da sa√ļde em todo o Estado. "A vacina est√° muito perto, pode come√ßar dia 20, 21, 22, dependendo da decis√£o da Anvisa e do Ministério da Sa√ļde", refor√ßou Beto Preto.