COM ÁREA RECORDE DE 87 MIL HECTARES, COLHEITA DA CEVADA CONTINUA EM RITMO ACELERADO

Colheita Cevada - Arquivo AEN

Colheita Cevada - Arquivo AEN

A colheita da cevada segue em ritmo acelerado no Paran√°. Com √°rea recorde de 87 mil hectares pode ter também a melhor produção, com 397 mil toneladas, caso o clima favoreça o produto que ainda est√° a campo. A an√°lise preliminar das consequ√™ncias de chuvas e da situação de outras culturas est√° no Boletim de Conjuntura Agropecu√°ria relativo à semana de 6 a 11 de novembro.

O levantamento dos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), aponta que 11% da √°rea com cevada j√° est√° colhida. O volume é bastante superior à média de 2% neste mesmo período em anos anteriores. Além disso, 50% do que resta em campo est√° em maturação, mostrando antecipação das lavouras.

Em parte, a situação j√° era esperada, pois os 2 mil hectares de acréscimo de √°rea neste ano, em relação a 2022, ocorreu em região mais quente, como nos Campos Gerais e Norte Pioneiro.

Apesar do início promissor em termos de rendimento e qualidade, ainda h√° preocupação, pois as condições de lavouras boas baixaram de 95% para 90% em uma semana, em razão das chuvas ocorridas, e ainda h√° previsão de mais precipitações.

TRIGO – O tempo chuvoso também preocupa os produtores de trigo do Paran√°. A colheita evoluiu, mas foi interrompida pelas chuvas que atingiram o Estado no dia 4 e só cessaram no domingo (8). Além de interromper esse trabalho, não permitiram os controles fitossanit√°rios e provocaram acamamentos pontuais de lavouras.

Aproximadamente 380 mil hectares continuam no campo, com mais da metade (54%) em maturação, fase em que eventuais chuvas podem prejudicar a qualidade do produto. A outra parte est√° em enchimento de grãos e novas chuvas podem favorecer doenças. Após o conhecimento total dos efeitos da chuva ser√° possível analisar se a produção estimada de 4,16 milhões de toneladas se mantém.

CEBOLA E FEIJÃO – Nesta semana começou a colheita da safra 2023/24 de cebola no Paran√°. Foram plantados 2,7 mil hectares, sendo 18,6% menor que os 3,3 mil hectares do ciclo anterior. Projeta-se uma produção de 94,4 mil toneladas, o que significa redução de 12,1% em relação às 107,4 mil toneladas de 2022/23. O feijão est√° com 66% dos 111 mil hectares estimados j√° semeados para esta primeira safra. A √°rea é um pouco menor que os 116 mil hectares do ano passado. A previsão é que sejam retiradas 215,2 mil toneladas.

SOJA E MILHO – O plantio da soja segue acelerado no Estado. Nesta semana o percentual plantado atingiu 31% da √°rea estimada de 5,8 milhões de hectares. Neste meio de semana as condições estão favor√°veis em praticamente todo o Estado para o plantio, podendo superar os 40% na próxima semana.

O percentual de √°rea plantada da safra de milho 2023/24 chegou a 85% dos 314 mil hectares previstos. As condições estão boas para 95% da √°rea e o restante, medianas. Os preços do cereal permanecem est√°veis, mas com viés de alta.

CARNE BOVINA – O boletim do Deral analisa ainda uma oscilação do preço da arroba bovina no patamar médio de R$ 239,00 nos últimos dias. A competição com a carne de frango, que tem preço em queda desde o início do ano, continua exercendo pressão no setor.