Maio Amarelo: Sesa chama atenção para os acidentes no trânsito

Crédito: AEN

Crédito: AEN

O Maio Amarelo é o mês de intensificação das ações voltadas à prevenção de acidentes no trânsito, e tem como objetivo chamar atenção para os altos índices de mortes e feridos.

Este ano com o tema central "Juntos Salvamos Vidas", a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), por meio da Comissão Estadual Intersetorial de Prevenção de Acidentes e Segurança no Trânsito - Vida no Trânsito Paraná, alerta motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres sobre a importância do comportamento no trânsito, para a redução no número de acidentes.

"Os acidentes de trânsito são um grande desafio para a saúde devido ao número de vidas perdidas e famílias afetadas, além das sequelas que podem deixar na vida dos sobreviventes que, em geral, são jovens, em idade produtiva. Com a melhora do cenário epidemiológico e o retorno à circulação sem restrições, precisamos focar em atitudes preventivas e conscientizar as pessoas sobre a responsabilidade de todos para um trânsito seguro", disse o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

A velocidade e o uso de álcool e direção permanecem como fatores principais para a ocorrência de acidentes. O desrespeito à sinalização, distrações, uso do celular ao volante também contribuem para os índices.

Os usuários mais vulneráveis das vias representam 62,56% das internações em leitos do Sistema Único de Saúde (SUS). O custo total das internações hospitalares em leitos do SUS no Paraná, por lesões decorrentes de acidentes de trânsito, ultrapassou R$ 16 milhões em 2019, R$ 17 milhões em 2020 e cerca de R$ 17,5 milhões em 2021 (dados preliminares). O custo na área da saúde de um acidente de trânsito não se resume somente à internação hospitalar, mas também à reabilitação do acidentado e ao atendimento pré-hospitalar prestado.

Em 2021, dados preliminares do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, mostram que houve um declínio de 3% nas mortes por Acidente de Transporte Terrestre (ATT) no Estado, em relação ao ano anterior, e de 12,65% nos municípios participantes do Programa Vida no Trânsito (PVT) no mesmo período.

O Paraná na última década vinha diminuindo a cada ano o número de óbitos por ATT, no entanto em 2020, houve um aumento dos óbitos por ATT (em torno de 2%). "Este cenário pode estar relacionado ao menor número de veículos nas vias, devido aos períodos de restrição de circulação ocorridos durante a pandemia, favorecendo o aumento da velocidade na direção veicular e, por conseguinte, a ocorrência de acidentes de trânsito com lesões mais graves", disse a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

Decreto

Em 12 de maio de 2020, o governador Carlos Massa Ratinho Júnior assinou o Decreto nº 4630, que institui a nova Comissão Estadual Intersetorial de Prevenção de Acidentes e Segurança no Trânsito (Vida no Trânsito Paraná). Ele prevê a reorganização da composição da comissão, integra o Conselho Estadual de Trânsito e o Conselho Estadual de Saúde ao colegiado e inclui, dentre suas atribuições, o papel de apoio e suporte técnico, para a implantação do programa no âmbito municipal. No Estado, a coordenação do Vida no Trânsito Paraná, é compartilhada entre a Sesa e o Detran/PR.

Atualmente, no Paraná, 13 municípios já implantaram o PVT: Araucária, Campo Mourão, Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Maringá, Londrina, Paranaguá, Paranavaí, Ponta Grossa, São José dos Pinhais e Toledo.

As comissões municipais do programa são estimuladas a desenvolver ações para prevenção de mortes e lesões por acidentes de trânsito, não somente no mês de maio, mas continuamente ao longo de todo o ano.

Ações

Participantes das comissões estadual e municipais do Vida no Trânsito iniciaram várias ações para a conscientização da população nos municípios paranaenses, com palestras, gincanas, roda de conversa com crianças nas escolas, teatro, além de outras atividades relacionadas aos perigos no trânsito. Uma parte dessas ações são voltadas para os motociclistas. Eles são considerados usuários vulneráveis e estão no topo em internamentos, com 47,81%, seguidos dos ciclistas (7,74%) e dos pedestres (7,01%).

"É preciso que toda a população entenda a importância do respeito às leis de trânsito, não somente como uma forma de evitar multas, mas como meio de demonstrar respeito e cuidado com o próximo, no uso compartilhado das vias, pois "Juntos Salvamos Vidas", finalizou, Tatiana Gomara Neves, médica especialista em Medicina de Tráfego.

Será realizado durante este mês o Desafio Intermodal Maio Amarelo, com o objetivo de analisar a eficácia de diversos meios de mobilidade urbana, possibilitando uma reflexão sobre a escolha de locomoção, como por exemplo: alguns descobrem que é mais rápido ir ao trabalho de bicicleta do que de motocicleta.

Desafio intermodal

Consiste em percorrer o mesmo trajeto, no mesmo horário, mas em dias distintos, com um meio de locomoção diferente. A proposta é que as pessoas façam uma rota do cotidiano, no mínimo de 1 km e compartilhe com os organizadores (através do link: www.bit.ly/desafiomaioamarelo2022). O percurso realizado nos dois dias deve ser registrado por um aplicativo de navegação (Wikiloc ou Strava), disponíveis para Android e iOS.

Maio Amarelo

O Maio Amarelo foi criado em 11 de maio de 2011 quando a ONU (Organização das Nações Unidas) decretou a Década de Ações para a Segurança no Trânsito – entre 2011 e 2020, tendo como meta a redução dos acidentes de trânsito em 50%. O amarelo foi escolhido em alusão à sinalização de advertência e que simboliza atenção.

Paz e calma no Trânsito, juntos salvamos vidas!