A seca provoca impactos que vão além do fornecimento de água para abastecimento público

Gilson Abreu/AEN

Gilson Abreu/AEN

J√° s√£o contabilizadas perdas consider√°veis na produ√ß√£o agrícola, h√° um aumento na ocorr√™ncia de inc√™ndios em todo o Estado e também da incid√™ncia de problemas de saúde.

No início de agosto, o governo estadual publicou o quarto decreto de emerg√™ncia hídrica no Paran√°, em sequ√™ncia, reconhecendo a gravidade da estiagem e que prioriza o uso da √°gua para abastecimento humano e dessenta√ß√£o animal.

Em julho, houve 1.505 focos de queimadas no Paran√°, 125% a mais que no mesmo m√™s do ano passado, quando 669 ocorr√™ncias foram confirmadas. Nos primeiros dias de agosto, as ocorr√™ncias mais do que dobraram, passando de 674 registros entre os dias 1¬ļ e 8 de agosto, contra 329 no mesmo período de 2020.

O alerta de risco alto de incêndio continua vermelho na maior parte do Estado, conforme mapa divulgado no fim de semana pelo Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar).

PERDAS AGRÍCOLAS

No Paraná, as perdas provocadas pela estiagem repercutem em toda a cadeia alimentar. Sem chuvas significativas no momento do plantio de grãos, muitos produtores atrasaram a semeadura, fazendo com que a produção sofresse impacto de pragas e de geadas fora dos ciclos convencionais.

A quebra na produ√ß√£o de milho foi de 58% na segunda safra em rela√ß√£o ao mesmo período da cultura no ano passado. Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, a estimativa inicial era colher 14,6 milh√Ķes de toneladas de milho em 2,5 milh√Ķes de hectares no estado. Sem chuvas suficientes, os agricultores paranaenses colheram 6,1 milh√Ķes de toneladas na mesma √°rea plantada. Isso significa um prejuízo de R$ 12 bilh√Ķes na economia.

O chefe do Deral, Salatiel Turra, explica que como consequ√™ncia o gr√£o est√° 124% mais caro do que no ano passado, com reflexos na cria√ß√£o de frango, peixe e porco. "O milho é a principal proteína na produ√ß√£o de frango, por exemplo. Os produtores ter√£o que importar o gr√£o, causando impacto no pre√ßo dos alimentos para o consumidor final", afirma.

Maior produtor de feij√£o no país, o Paran√° também viu diminuir em 48% a colheita das duas primeiras safras deste ano. Das 539 mil toneladas esperadas, foram colhidas 282 mil toneladas. "Estamos vivendo uma das piores secas dos últimos tempos, com redu√ß√£o bastante significativa na produ√ß√£o e na produtividade agrícola. Os produtores rurais ficam descapitalizados e diminuem o consumo, impactando toda a economia", diz Salatiel Turra.

SAÚDE

O tempo seco contribui para o ressecamento da mucosa das vias aéreas, o que acaba facilitando o surgimento de alergias, asma, bronquite, dermatites, gripes e resfriados. E como consequ√™ncia infec√ß√Ķes bacterianas secund√°rias como pneumonia, sinusite, otites e laringites, segundo o pneumopediatra José Orlando Nonino, de Londrina. Como preven√ß√£o às doen√ßas respiratórias, o médico indica boa alimenta√ß√£o e a ingest√£o de √°gua regularmente. "A crian√ßa deve receber líquidos v√°rias vezes ao dia. Esses líquidos podem ser o leite, o suco, mas, principalmente, √°gua".

Ele aconselha também o umidificador de ambientes, mas, preferencialmente, o uso de uma toalha úmida na janela, cabeceira ou cadeira perto da cama do quarto de dormir.

Os idosos também sentem mais os efeitos da estiagem. Rinite, sinusite e asma acometem mais esse público neste período, ou se agravam com a baixa umidade do ar, segundo a geriatra Cristina Ferreira Lima Disconzi, de Guarapuava.

"Problemas das vias aéreas superiores se tornam mais comuns. Em rela√ß√£o aos idosos, é preciso ficar atento à hidrata√ß√£o. A falta de √°gua no organismo causa altera√ß√Ķes renais, infec√ß√Ķes urin√°rias e até o que chamamos de delirium, uma confus√£o mental ou mudan√ßa de comportamento devido à ocorr√™ncia de infec√ß√Ķes", alerta a geriatra.

Dicas de economia de √°gua:

Feche a torneira - Ao lavar as mãos ou a louça, não deixe a torneira aberta todo o tempo. Isso evitará que vários litros de água tratada sejam desperdiçados.

Hora do banho - Seja r√°pido no banho. Cada 5 minutos embaixo do chuveiro ligado consomem aproximadamente 70 litros de √°gua.

Basta um copo - Para escovar os dentes é necess√°rio apenas um copo de √°gua. Feche a torneira.

Use a vassoura - Antes de lavar a calçada, use vassoura. Jamais use a água potável para esse serviço. Reaproveite a água da lavagem de roupa ou da chuva.

Economia - Diminua as descargas. Regule periodicamente a válvula hidra ou a caixa de descarga. Coloque uma garrafa pet com água ou areia dentro da caixa de descarga acoplada. Se a garrafa for de 1,5 litro, a cada descarga, você economia 1,5 litro de água.

Lavando roupa - Junte roupas para lavar todas de uma só vez. Aproveite a √°gua usada no tanque ou na m√°quina para lavar cal√ßadas.

T√° Pingando - Os maiores ladr√Ķes de √°gua s√£o vazamentos, torneira pingando e descarga desregulada. Fa√ßa manuten√ß√£o regularmente.

Carro - Em época de estiagem n√£o lave o carro. Reaproveite √°gua da chuva ou de lavagem de roupas para fazer a limpeza.

Fazendo a barba - Não faça a barba com a torneira aberta. Use a água somente para molhar e enxaguar o rosto.

T√° na m√£o - Lavar as m√£os com a torneira aberta o tempo todo causa um grande desperdício. Ao ensaboar as m√£os, deixe a torneira fechada.

Reaproveite - A √°gua do último enx√°gue das roupas, no tanque ou na m√°quina, pode ser usada para ensaboar tapetes, t√™nis, cobertores, pisos e cal√ßadas.

Gaste menos - Ao lavar a lou√ßa, encha a cuba de √°gua e deixe-a fechada. Evite deixar a torneira aberta, enx√°gue a lou√ßa toda ao final da lavagem. Assim, o gasto de √°gua é bem menor.